fbpx

O ômega 3 proporciona inúmeros benefícios para a saúde. Quando consumido de forma equilibrada têm papel fundamental no crescimento celular, contribui para o sistema cardiovascular, nervoso, imunológico, além de aumentar o bem-estar geral.

Uma vez que não é produzido pelo organismo, deve ser obtido através de alimentos rico em ômega 3 ou suplementos específicos.

Segundo estudo científico, em sua composição estão o DHA (ácido docosahexaenóico) e o EPA (ácido eicosapentaenoico), os principais responsáveis pelos benefícios do ômega 3 com diversos estudos comprovando suas propriedades.

Essencial para a saúde, o ômega 3 é uma gordura poli-insaturada que ajuda a equilibrar o colesterol, reduzir inflamações, equilibrar os hormônios, entre outros.

Dessa forma, entre seus benefícios estão a proteção contra doenças cardiovasculares e AVC’s, prevenção e auxiliar no tratamento de artrite reumatoide e doença inflamatória intestinal e até mesmo no combater ao câncer.

Mas com tantas coisas boas, será que o ômega 3 pode fazer mal de alguma forma? Conheça melhor esse nutriente, seus benefícios e malefícios.

Quem não pode tomar ômega 3?

A substância ômega 3 é benéfica em todas as fases da vida, antes mesmo do nascimento, até a velhice, pois faz parte da composição das membranas das células.

Porém, a suplementação de ômega 3 com óleo de peixe, aqueles que encontramos na forma de cápsulas, é contraindicado para pessoas alérgicas a peixes, crustáceos como camarão e frutos do mar em geral por conta do risco de reações alérgicas.

Neste caso, ao invés de optar por cápsulas ou peixes, deve-se obter ômega 3 de fontes vegetais, principalmente em sementes e oleaginosas, como chia, castanhas e nozes, alimentos ricos nesse nutriente.

Pessoas com problemas de coagulação e que fazem o uso de medicamentos anticoagulantes devem ter cuidado ao tomar cápsulas de ômega 3, se for consumir, deve reduzir as doses, visto que uma das propriedades do ômega 3 é diminuição da agregação plaquetária, ou seja, tornar o sangue mais fluido, mesma ação antitrombótica. O uso concomitante com anticoagulantes pode causar hemorragias.

Quanto às gestantes, o consumo de suplemento de ômega 3 deve ser avaliar junto ao médico obstetra.

Em resumo, que não pode tomar suplemento de ômega 3 são:

·         Pessoas alérgicas a frutos do mar

Quem deve avaliar o consumo junto ao médico ou nutricionista e/ou reduzir as doses são:

·         Pessoas que usam anticoagulantes ou que tenham algum distúrbio de coagulação

·         Grávidas.

Qual o mal que o ômega 3 pode causar?

O consumo de ômega 3 é associado à diversos benefícios para o organismo, incluindo a prevenção e tratamento de algumas doenças.

Por conta das suas propriedades, seu consumo é estimulado e não faz mal quando tomado nas quantidades indicadas e para pessoas sem nenhuma alergia a frutos do mar.

Uma extensa variedade de suplementos alimentares à base de óleo de peixe está disponível no mercado. Cabe ao consumidor avaliar o de melhor qualidade para suplementar ômega 3.

Como dissemos, em geral, o suplemento de ômega 3 é bem tolerado, no entanto, doses muito elevadas podem trazer problemas.

O excesso de ômega 3 por longo espaço de tempo, pode reduzir as respostas do sistema imunológico e levar a sangramentos.

Outros efeitos colaterais descritos na literatura causados pelo excesso de ômega 3 no organismo são:

·         Mau hálito;

·         Suor com odor;

·         Dor de cabeça;

·         Sintomas gastrointestinais, como azia, náusea e diarreia.

Portanto, a suplementação com cápsulas de ômega 3 deve ser feita somente nas doses recomendadas.

Para saber a dose exata para as suas necessidades, consulte um médico ou nutricionista.

Quais os benefícios de ômega 3?

O ômega 3 é um reconhecido anti-inflamatório, desse modo, ajuda a reduzir a inflamação no organismo e a combater diversos males que podem ser desencadeados por esse fator, tais como as doenças cardiovasculares, artrite reumatoide e obesidade.

Além disso, ajuda a reduzir os níveis de colesterol e de triglicérides no sangue, auxilia no controle da pressão arterial, possui efeito antitrombótico e fortalece o sistema imunológico.

Também está relacionado ao tratamento da depressão atuando como auxiliar na redução os sintomas da doença, assim como os de Alzheimer e distúrbios de comportamentais, como hiperatividade e déficit de atenção.

Seu uso está associado ainda a melhora do desempenho cognitivo, da saúde dos olhos e até como auxiliar no emagrecimento.

Veja a seguir em maiores detalhes alguns dos benefícios do ômega 3:

Combate inflamações

O Ômega 3 tem efeito anti-inflamatório, auxiliado assim no combate a inflamações, seja decorrente do excesso de peso, das articulações e, inclusive, de doenças autoimunes.

Diminui o colesterol e os triglicerídeos

Níveis elevados de LDL, o chamado popularmente como colesterol ruim, favorece seu acúmulo nas paredes das artérias e reduzindo o diâmetro dos vasos sanguíneos, fato este que pode levar ao seu entupimento e condições graves como aterosclerose, infarto e AVC.

Entre os benefícios do Ômega 3 está sua capacidade de diminuir o colesterol “ruim” (LDL)  e aumentar o colesterol “bom” (HDL). Este último ajuda a reduzir a inflamações nas paredes das artérias, protegendo o sistema cardiovascular.

Protege o coração

O ômega 3 é um excelente nutriente protetor  do coração e de todo o sistema cardiovascular, atuando de várias formas para promover a saúde cardiovascular.

Uma das principais ações se dá pelo seu poder anti-inflamatório que reduzir a inflamação nas paredes das artérias e os níveis de colesterol e triglicerídeos.

Ele também melhora o fluxo sanguíneo ao regular a atividade das plaquetas, evitando a formação de trombos e controlando a pressão arterial.

Sua ação no coração se dá através da estabilização da atividade elétrica, ajudando a estabilizar os batimentos cardíacos.

Diminui a pressão arterial

O ômega 3 pode auxiliar no controle da pressão arterial, uma vez que melhora a elasticidade artérias ao reduzir o colesterol e evitar que se deposite nas paredes das artérias.

Ajuda a combater a diabetes

Níveis adequados de ômega 3 podem ajudar a melhorar a ação da insulina e assim, atuar como auxiliar na prevenção e combate ao diabetes.

Além disso, por conta da sua ação anti-inflamatória, o ômega 3 pode ser um aliado para tratar das complicações decorrentes da diabetes.

Auxilia na perda de peso

Estudos recentes mostraram a relação do ômega 3 como auxiliar no emagrecimento. Isso pode acontecer somando-se diversas ações do nutriente no metabolismo.

Em resumo, o ômega 3 ajuda na redução de medidas ao diminuir a inflamação do organismo que dificulta a perda de peso e pode levar a alterações no controle da fome e saciedade.

Dessa forma, o ômega 3 também atua no melhor controle do apetite, favorece a ação da insulina, ajuda na redução do colesterol e triglicérides e ainda potencializa a queima de gordura.

Melhora da função cognitiva

O ômega 3 é muito conhecido por suas propriedades relacionadas ao bom funcionamento do cérebro e das funções cognitivas, como melhora da memória.

Grande parte do peso total do cérebro é formado por gordura, sendo que a bainha de mielina, a qual recobre e protege os neurônios, possui ômega 3 em sua composição.

Dessa forma, os sinais nervosos podem ser transmitidos mais facilmente e, consequentemente, tem-se a melhora da atividade cerebral.

Já quando os níveis de ômega 3 neste órgão são baixos, pode levar a perda da função cognitiva e, inclusive atrasar o desenvolvimento neurológico em crianças. Por isso, esse nutriente se mostra importante durante a gravidez, uma vez que participa do desenvolvimento neurológico do feto.

Suas propriedades antioxidantes ainda podem prevenir o organismo de doenças degenerativas como esclerose múltipla, Alzheimer e Parkinson.

Ajuda a evitar a depressão

O EPA e DHA atuam nos neurônios estimulando o crescimento neuronal e o melhor fluxo sanguíneo na região, bem como auxiliar na manutenção de níveis estáveis de neurotransmissores como a dopamina.

Isso por si só já ajuda a estabilizar e melhorar o humor, porém sua ação na depressão conta ainda com a potencialização dos efeitos positivos dos antidepressivos.

Bom para a visão

O ômega 3 é faz parte da retina dos olhos, a parte responsável por  receber e transformar o estímulo luminoso e como tal, é fundamental para manter uma boa visão.

Além disso, níveis adequados de ômega 3 podem auxiliar na prevenção da degeneração macular.

Auxilia no tratamento da artrite reumatoide

O efeito anti-inflamatório do ômega 3 ajuda no combate aos sintomas da artrite reumatoide, doença caracterizada pela inflamação crônica das articulações.

Conclusão

Como vimos, o ômega 3 é altamente benéfico para o organismo e não apresenta efeitos indesejados desde que consumido nas doses recomendadas. A única contraindicação do uso de suplementos de ômega é por pessoas alérgicas a peixes e crustáceos, uma vez que o produto é obtido do óleo de peixe.

Por não ser produzido naturalmente pelo organismo, deve ser obtido pela alimentação. As principais fontes alimentares de ômega 3 são peixes como salmão, atum e sardinha, mas também é encontrado em sementes e oleaginosas como amêndoas e nozes.

Como a alimentação do brasileiro tradicionalmente não inclui boas quantidades desse nutriente, nem sempre somente com a alimentação é possível suprir as necessidades do organismo.

Para alcançar e manter níveis desejados e assim, promover a saúde, a suplementação com ômega 3 é recomendada.

morosil

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *